O prefeito Zé Carlos do Pátio (SD) foi bastante lembrado durante a Sessão Ordinária desta quarta-feira (23). O motivo, culpar o legislativo da ingerência de sua gestão. Um dos que teceu duras críticas ao chefe do Executivo foi o vereador Vilmar Pimentel. Quem também não está contente com Pátio é o presidente da Casa de Leis, Rodrigo da Zaeli.

Zaeli criticou o prefeito por conta da perseguição que vem fazendo, ou assim dizendo, aos motoristas de aplicativos de transporte de passageiro. Segundo o legislador, não é possível que o município cerceie o direito deles oferecerem o serviço. “Há uma lei federal e o município tem apenas a prerrogativa de regulamentar. Com ou sem lei municipal, os aplicativos vão continuar existindo e, mais, são legais”, disse.

O vereador disse ainda que as tentativas do prefeito em atribuir aos vereadores a culpa pela inabilidade da administração é, no mínimo, deselegante. “Com relação ao projeto das Agentes de Combates à Endemias e das Agentes Comunitárias de Saúde ele alegou em coletiva de imprensa que o projeto estava na Casa de Leis há quarenta dias. A discussão têm esse tempo, mas o projeto, assim que colocado em pauta foi retirado pelo líder do prefeito para alterações. Após isso, foi protocolado novamente no dia 7 de maio. Hoje, com 16 dias tramitando na Câmara, foi colocado em pauta para votação”, explicou.

AINDA DURANTE A SESSÃO

Zaeli também criticou o posicionamento de alguns colegas ao criticarem o Governo do Estado. Segundo ele há uma dívida do governador para com a cidade, mas os problemas são ainda maiores nos órgãos públicos municipais. “Temos que olhar a nossa casa para depois falarmos da casa do vizinho. Nossas ruas estão esburacadas, as escolas começaram o ano letivo atrasado por conta de reformas inacabadas e essa semana recebemos a visita de representantes das escolas do município que reclamaram o baixo valor do subsídio para compra da merenda. Como que eu vou falar dos outros se nossa cidade não funciona? Não dá né!”, concluiu.