Quando o então vereador Rodrigo da Zaeli -PSDB se lançou como candidato à ALMT em 2014 pouco tinha para mostrar. Recém saído de secretaria municipal rumo a Casa de Leis, exercia há pouco mais um ano o mandato. Alcançou exatos 11.127 votos na ocasião e foi, ainda assim, o segundo candidato/vereador mais votado -quatro concorrentes-. Quatro anos mais tarde, segunda busca pela vaga, o cenário se mostra diferente.

Na atual legislatura, Zaeli atuou como presidente da Câmara. Só se afastou para ser candidato a deputado. “Estou mais experiente, a população acredita mais, me conhece mais”, analisa o tucano. “Não tive apoio na região sul do estado em 2014, apenas um vereador de Alto Taquari me apoiando. Hoje isso mudou, tenho vereadores nas cidades da região que hoje acreditam no meu nome. Politicamente a estrutura está maior e melhor, o que nos faz acreditar”, diz.

De fato, o apoio cresceu. Candidatos do principal escalão do partido Pedro Taques e Nilson Leitão, por exemplo, tem sugerido o nome do vereador a cada discurso pela região. “Sim, isso também pela minha trajetória política (…) construí uma caminhada”.

Santo de Casa

Se aproximando da reta final desta campanha eleitoral mais curta, Zaeli se diz confiante. “Meu nome está bem aceito e a região Sul está entendendo que é importante valorizar os ‘prata da casa’. Rondonópolis também tem entendido isso. Na política, o santo de casa é o que faz o milagre”, avalia. “Lógico que um deputado procura fazer leis para o estado todo, mas quando se fala em emendas, recursos e oportunidades, um mais próximo da região atende mais”, completa.

Zaeli concorre diretamente com outro vereador rondonopolitano, Thiago Silva -MDB, mas não prevê prejuízo. “Quando se fala na região, estamos falando quase 400 mil votos. Nesta eleição temos os já deputados -que buscam reeleição – e nós, os novatos. Estes que já estão lá tem que enfrentar muito desgaste, foram muitos os escândalos recentes de corrupção, delações… Isso dá fôlego para nós, as novas lideranças. Por isso, vejo como muito fortes meu nome e o do Thiago [Silva]. Rondonópolis e a região tem margem para nós dois”.

Diplomacia

Se eleito, Zaeli garante um mandato “sem extremismo”. “Quando se é da situação, se tem possibilidade de governar junto. Quando não, cabe habilidade de mostrar que suas ideias e modo de pensar podem contribuir para a população.  Quando se trava um projeto que vai gerar benefícios por mera questão partidária, quem perde é a população. Não pode misturar. Oposição por oposição, extremismo… Essa coisa toda é burrice”, finaliza.

 

Fonte: Site Gazeta MT