Durante a sessão desta quarta-feira (21), os vereadores sabatinaram as novas indicadas do prefeito José Carlos do Pátio para os cargos de Diretora Presidente e Diretora Administrativa Financeira da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Rondonópolis – Coder. De forma minuciosa cada legislador pôde extrair de cada indicada informações sobre a nova forma de condução a ser implementada na companhia.

A primeira a ser sabatinada foi Erazilene Valentim Silva, para o cargo de Diretora Administrativa Financeira. Entre os questionamentos, o principal: sobre o entendimento da candidata com relação às finanças da companhia, bem como o que pretende fazer para recuperar os prejuízos. “Sei que a dívida com impostos chega a R$ 100 milhões. Com fornecedores o montante é de R$ 8 milhões. Se for pensar bem, nem assumo, pois é uma bola de neve. O problema veio de outras gestões, para equilibrar é complicado”, explicou.

Segundo ela, pelo levantamento inicial vai ser preciso tomar algumas decisões mais duras. “Não há medição suficiente para pagarmos tudo que deve. Por conta disso os fornecedores terão que esperar até que eu tenha recurso para quitar estas dívidas. Sem apoio da prefeitura não teremos condições de regularizar. Teremos que partir para financiamentos, porque senão não conseguiremos pagar a folha, os impostos. Ainda não vi o quadro de funcionários, mais se for preciso cortaremos na carne para garantir o equilíbrio financeiro da Coder”, disse.

Ela ainda explicou sobre a possibilidade que vem circulando da empresa ser transformada em estatal independente. “Vejo com bons olhos esta possibilidade, pois só prestamos serviços para o município. Mais cabe ao jurídico da companhia e a procuradoria da prefeitura estudarem esta hipótese. É a forma de sairmos da dívida, pois poderíamos começar do zero”.

E foi duramente rebatida pelo vereador Thiago Muniz. “Ora, aí a pessoa chega aqui, fala qualquer coisa e acha que somos leigos, que não entendemos das coisas. Acha que uma empresa vai cancelar um CNPJ e abrir outro sem que a Receita Federal cobre a dívida anterior? Faça-me o favor, né. O que a prefeitura tem que fazer é contratar a Coder para que ela ganhe dinheiro e consiga pagar suas dívidas, equilibrar suas contas”.

Já para Nívea Calzolari, candidata ao cargo de Diretora Presidente da Coder, os vereadores foram ainda mais duros. Disseram esperar um plano de gestão, pois elas são as terceiras a passarem pela sabatina desde o início do mandato do prefeito José Carlos do Pátio. “Ao que a senhora atribuí estas constantes mudanças?”, questionou o vereador Rodrigo da Zaeli.

Não sei te responder vereador. Sei que algumas foram situações pessoais, outras não sei”, explicou Nívea Calzolari. E ele completou. “Será que é por falta de condições de trabalho?”. Ela: “Mais uma vez digo, não sei responder”.

O vereador Orestes Miraglia disse que durante esses anos que ela esteve à frente da Secretaria de Infraestrutura os problemas nas obras eram culpa da inoperância da Coder e a companhia devolvia a responsabilidade à Sinfra. Diante disso, questionou se não havia confiança entre os gestores.

“Na minha gestão haviam contratos firmados com a Coder. Em 2017 foram pagos R$ 40 milhões para a companhia. E em 2018, até a presente data, já foram pagos R$ 30 milhões. Lembrando que no ano anterior o CBUQ, a elétrica e a brita foram custeadas pela Coder, já este ano não. Tudo foi garantido pela Sinfra. Portanto, esse valor deve ser menor”, explicou.

Zaeli disse ter feito duras críticas à Sinfra por conta de atrasos e ineficiência na execução das obras. “Inclusive, secretária, eu avisei a senhora dos possíveis problemas que teríamos na W-11, antes mesmo da chuva vir e provocar aquele estrago que todos vimos. A senhora, não fez nada. Tivemos atrasos na obra da Dom Pedro II, a avenida dos Estudantes deu problema de novo. Eu me sinto bem desconfortável de aprovar sua ida para a companhia”, falou.

Mesmo com o descontentamento de alguns, a candidata à Diretora Presidente da Coder, Nívea Calzolari, foi aprovada por 19 votos favoráveis. O vereador Subtenente Guinâncio foi o único a votar contrário. Já Erazilene Valentim Silva, foi aprovada, por unanimidade e deve assumir o cargo de Diretora Administrativa Financeira da companhia.